Artigo 15 jan 2016

Por que nem tudo é storytelling? Qual o lugar das histórias nas organizações?

Como qualquer outra técnica, o storytelling é contingencial: deve ser adaptado às situações e aos momentos organizacionais, e deve ser visto apenas como mais uma ferramenta de comunicação, como outras que estão à disposição das organizações hoje em dia. As histórias não se tornam ciência porque não servem em qualquer propósito organizacional, mas podem tornar-se estratégia quando aplicadas com  transparência, integridade, emotividade e intencionalidade que merecem. Neste artigo vamos apresentar três ressalvas que explicam porque nem tudo o que se faz nas organizações é storytelling e apontar seis contextos onde as histórias fazem sentido nas empresas.

Ana Gil,  Consultora Sénior na Área Corporativa en Digital da LLORENTE & CUENCA Portugal

Quere saber mais?
Artigos
    Especialidades
      Profissionais

        Queremos colaborar com você

        Qual o seu desafio?

        Quer fazer parte da nossa equipe?

        Quer nossa participação no seu próximo evento?